Home Insights Histórias de sucesso Agregados Britaminas entra no mercado de rochagem com tecnologia Metso
Voltar para Agregados
set 1, 2021

Britaminas entra no mercado de rochagem com tecnologia Metso

A pedreira Britaminas Fortaleza, localizada em Mineiros (GO), é a primeira planta de agregados brasileira totalmente focada na produção de remineralizadores para a agroindústria. Diferentemente de outras pedreiras, ela não produz o pó de pedra para rochagem como um subproduto da brita para construção civil e sim como material principal. A iniciativa aconteceu para atender a demanda da agroindústria do Mato Grosso e inicialmente operava com um moinho de martelos como principal equipamento de produção. Hoje, a companhia adota a prensa de rolos HRC-8, da Metso, que triplicou a produção em relação ao equipamento anterior, mantendo potência de 200 HP.

Antes de conhecer o HRC-8, o empreendedor acreditava que somente equipamentos tradicionais – como os moinhos de martelo - poderiam ser usados na produção de pó de pedra para a rochagem, como também é conhecida a remineralização. Além de descartar o moinho de martelo, de maior complexidade na operação e manutenção e energeticamente mais demandante, a escolha do HRC-8 reforçou a profissionalização da produção de pó de pedra. Agora, a Britaminas estabilizou a operação, com o fornecimento do remineralizador totalmente abaixo de 1 mm de granulometria e um equipamento com menos desgaste de peças. 

"Estamos bastante satisfeitos porque o HRC 8 atende a granulometria que o produtor agrícola pede e que vai disponibilizar os minerais presentes no pó de rocha mais rapidamente no solo", resume Abel Fortaleza Filho, diretor da Britaminas. Com a linha de rochagem estabilizada, a pedreira pode atender os produtores de cana de açúcar, soja, milho, eucalipto e pastagem num raio de 200 km, mas já recebeu consultas para fornecer o pó de pedra até para Sinop, cidade do norte do Mato Grosso e fora do eixo inicialmente estabelecido pela companhia.

O nome da técnica vem, é claro, do uso de rochas – fonte natural de minerais – na melhoria dos solos. Também conhecido como remineralização de solos, em função da recomposição mineral, o processo vem sendo desenvolvido desde a década de 1950 no Brasil. A rochagem ganhou um novo status com a regulamentação do seu uso pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em março de 2016. A rochagem é vista como um processo complementar e não substitui os fertilizantes, mas os complementa.

Para poder comercializar o pó de rocha, as empresas precisam se adequar as exigências técnicas do MAPA, com testes que garantem a eficiência agronômica do produto. Outro ponto destacado é a distância entre a fonte de pó de pedra e os potenciais usuários. Na avaliação de especialistas, a produção do pó de pedra deveria estar num raio máximo de 300 km das propriedades rurais para ser economicamente viável.

"O HRC 8 é o equipamento ideal para atender essa nova fronteira de produção de agregados", explica Alfredo Maia Reggio, chefe de Vendas da Metso. De acordo com ele, o prensa de rolos é um compactador que produz o pó de pedra com a granulometria adequada à norma do remineralizador de solos determinada pelo MAPA, com ganhos de produção.

Segundo Reggio, o equipamento também contribui para a sustentabilidade da remineralização, pois reduz o consumo de energia em relação ao moinho de martelo e não usa água no processo. Outro ganho ambiental é a redução de ruídos e a possibilidade de adotar uma cultura mais sustentável com uso de produtos naturais como o pó de rocha.

* A Metso Outotec foi formada em 1º de julho de 2020, quando houve a fusão para uma única empresa. Este estudo de caso foi escrito antes desta data com o antigo nome da empresa.
Voltar para Agregados
Entre em contato com nossos especialistas
Seus dados estão seguros. Veja nossa Política de privacidade para maiores detalhes.
Obrigado!
Nós entraremos em contato em breve. Você só poderá enviar uma nova solicitação após 15 minutos.
Entre em contato