Home Insights Blog Blog - Mineração e refino de metais Compactação ganha espaço como processo de produção de fertilizantes
Voltar para Mineração e refino de metais
dez 9, 2021

Compactação ganha espaço como processo de produção de fertilizantes

Indicada para materiais de difícil granulação, tecnologia adota plantas compactas e energeticamente eficientes A compactação é o método de granulação de fertilizantes por via seca, ou seja, não requer a adição de líquidos e portanto pode dispensar o emprego de secadores, o que reduz o consumo de energia e o uso de aglomerantes necessários para os processos via úmido. A compactação também é adotada para materiais de difícil granulação e permite que muitos fertilizantes sólidos possam ser consolidados em quaisquer proporções somente com uso da pressão mecânica.

A granulação por compactação também ganha espaço pela sua simplicidade operacional. Mudar a formulação, numa unidade desse tipo, é um procedimento rápido e simples. A compactação combina as vantagens de consolidar todos os nutrientes em um único grão com a versatilidade da planta de mistura. A compactação tem uma vantagem adicional como um método de baixo custo de regranular os finos dos materiais utilizados nas plantas de mistura deteriorados durante o transporte e armazenagem.

A flexibilidade das plantas de compactação também pode ser comprovada pela sua aplicação em produtos difíceis de granular. Em função de ser uma planta compacta, ela também tem menor custo de manutenção e maior facilidade de operação. O setup da fábrica, por exemplo, pode ser feito com maior rapidez e o tamanho dos lotes podem ser menores que na granulação via úmida. Sendo um processo a seco, o despoeiramento e a filtragem são suficientes para controle da poluição dispensando o uso de lavador de gases e tratamento de efluentes líquidos.

Pressão dos rolos aglomera materiais e aumenta densidade sem uso de aglomerantes

A compactação envolve duas etapas: na primeira, as partículas finas secas são introduzidas entre dois rolos sobre extrema pressão que comprimem os materiais formando folhas ou flakes, como são tecnicamente conhecidos. Na segunda fase, os flakes são quebrados em pequenas partículas, que seguem para uma classificação na dimensão requerida. Tecnicamente, os rolos usados na planta podem ser lisos ou ranhurados. Já a alimentação dos finos pode ser por gravidade ou rosca de pressurização, dependendo do tipo do produto.

Na seção de acabamento poderá ser instalado uma unidade de polimento para aumento da qualidade do produto final, constituído de tambor de recobrimento e peneiras para remoção de finos gerados pela abrasão do material com o tambor.

A especificação das plantas de compactação depende de vários fatores, incluindo a granulometria do material alimentado (em geral as partículas são menores que 1 mm e maiores que 0.1 mm), temperatura (que ajuda a aumentar a densidade do flake), pressão dos rolos (cada produto possui uma pressão ideal) e umidade.

Por ser um processo de granulação a seco, a compactação normalmente possui muitas vantagens. Não exige energia térmica para secagem, a energia para o processo é suprida por eletricidade, menor problemas de corrosão, menor custo de manutenção. Os níveis de poluição são baixos por não existir líquidos ou gases efluentes para serem processados, maior versatilidade de produção de formulações muitas vezes impossíveis de serem processadas por via úmida, menor investimento, maior fator de serviço, menor estoque de produto final.

Fertilizantes

Saiba muito mais sobre o assunto fertilizantes em nossa página especial que reúne artigos, eBooks e outros materiais interessantes sobre como produzir.
Voltar para Mineração e refino de metais