Home Insights Blog Blog - Agregados Metso desenvolve planta móvel para produção de remineralizador
Voltar para Agregados
mar 17, 2020

Metso desenvolve planta móvel para produção de remineralizador

Metso Outotec
Metso Outotec
Montado em carreta, primeiro sistema do gênero inclui silo, peneira vibratória e britador de rolos e foi projetado para atender seis pedreiras de produtor de agregados do interior de SP

A primeira planta móvel para produção de remineralizadores acaba de sair das planilhas da Metso para o mundo real. Montada em carreta de 20 metros de comprimento, o conjunto inclui silo, peneira vibratória e britador de rolos. Com ele, o primeiro cliente – um grupo produtor de agregados do interior de São Paulo – deve transformar o pó de pedra acumulado em suas seis pedreiras – em remineralizador. Resumindo: ela deixa de ter um passivo acumulado para oferecer o pó de pedra dentro das especificações do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) na recomposição mineral de solos.

A mobilidade – algo que pudesse ser deslocada nas rodovias sem o auxílio de batedores – foi a principal exigência do cliente da Metso. Usando a planta móvel, ele pode deslocar a usina para cada uma das seis pedreiras que opera. Comercialmente, a empresa está mirando no mercado de agrobusiness do noroeste de São Paulo incluindo a fronteira agrícola de Minas Gerais e Mato Grosso. Como é comum em processos de aprovação no Mapa, o produtor de agregados já testa o uso do remineralizador fabricado com sua rocha basáltica em quatro áreas e compara os resultados com o uso de fertilizantes NPK tradicionais.

O uso de pó de rocha na recomposição de minerais é visto como um processo complementar a utilização de fertilizantes tradicionais e pode reduzir os custos desse processo e ainda melhorar as condições dos solos. O processo, regulamentado desde 2016, também abre uma nova frente para os produtores minerais, como é o caso do desta mineradora de agregados que utilizará a planta móvel para remineralização ou rochagem como também é conhecida.

Usinas de açúcar e álcool devem ser principais usuários do remineralizador

"Nosso cliente já definiu comercialmente seu alvo, com destaque para as usinas de açúcar e álcool das regiões de suas pedreiras e também está seguindo os trâmites de aprovação do Mapa", explica Luiz Oliveira, especialista de vendas da Metso. "Nosso papel foi desenvolver uma solução técnica e economicamente viável, que é a usina móvel de remineralização", complementa. Segundo ele, o projeto envolveu várias fases de consulta e visitas, mas com a vantagem de o produtor de agregados já ser um cliente regular da Metso, tanto em equipamentos como em serviços.

Além do conjunto de silo, peneira vibratória e do britador de rolos de alta pressão modelo HRC, a usina móvel pode ter acoplada ainda um gerador de energia. O equipamento adicional pode ser acionado em horários de pico de consumo, reduzindo os custos operacionais do produtor de agregados. Tecnicamente, a Metso já tem experiência em "empacotar" usinas de britagem e peneiramento em conjuntos móveis. No caso da nova usina, uma das adaptações foi o sistema de abaixamento e travamento da peneira, atendendo às normas de altura para transitar em rodovias.

O coração do processo será o HRC, responsável pela transformação da "montanha de pó de rocha" em remineralizador, ou seja, um produto com granulometria abaixo de 2 mm. Combinado com a peneira vibratória tradicional, a britagem de alta pressão controlada, vai permitir a produção constante do remineralizador com granulometria esperada inferior a 1,5 mm. Além do menor porte, as peneiras vibratórias convencionais exigem uma manutenção menos complexa e permitem – com a mudança de telas – o processamento de areia de brita ou industrial, outro subproduto possível a partir do pó de rocha.

"Conseguimos montar uma solução que atende o cliente, combinando nossa experiência de campo em agregados e nossa expertise em engenharia. Todo o projeto foi apresentado em 3D, o que facilitou a aprovação da usina móvel", detalha Luiz Oliveira. A planta deve ser engatada num cavalo mecânico até junho desse ano e seguirá para o interior de São Paulo, inaugurando um novo modelo para o mercado de agregados.

 

Baixe gratuitamente esse ebook
Voltar para Agregados
Quer ajuda? Entre em contato
Seus dados estão seguros. Veja nossa Política de privacidade para maiores detalhes.
Obrigado!
Nós entraremos em contato em breve. Você só poderá enviar uma nova solicitação após 15 minutos.
Quer ajuda?