Home Insights Blog Blog - Agregados Conheça cinco fatos importantes sobre a compactação de fertilizantes
Voltar para Agregados
fev 17, 2022

Conheça cinco fatos importantes sobre a compactação de fertilizantes

Os fertilizantes são produzidos, em sua maioria, na forma sólida por vários métodos de granulação e um deles é a granulação por compactação. É uma tecnologia a seco, altamente flexível e com pequena demanda de energia. Conheça a flexibilidade do processo em cinco pontos abaixo:

Granulação por compactação é top: O processo ganhou popularidade nos últimos anos - em comparação com outros modos de produção de fertilizantes granulados – porque combina vantagens da granulação úmida de conter todos os nutrientes em um único grão, e da mistura seca, que possui menor investimento e maior agilidade na troca de formulações. A granulação por compactação permite que muitos fertilizantes sólidos amorfos possam ser consolidados em quaisquer proporções somente pela aplicação de pressão mecânica. Também não é necessária umidade, o que dispensa automaticamente o uso de um secador (equipamento grande e caro) ou da demanda de energia térmica. E mais: geralmente os grãos formados na compactação possuem maior resistência que os granulados por via úmida

 

Simplicidade conta pontos: A granulação por compactação também ganha espaço em função de sua simplicidade operacional. Primeiro, porque mudar a formulação é um procedimento muito rápido e simples. Segundo, porque a técnica também pode ser usada para granular fertilizantes simples, em particular o potássio (cloreto de potássio) e outros que não podem ser granulados pelos métodos convencionais. Por ser um processo de baixo custo e complexidade, a compactação pode ainda ser aplicada tranquilamente para aproveitamento de matérias-primas que se deterioraram durante o transporte e armazenamento.

 

Como funciona a compactação: É um processo de granulação a seco, portanto não há meio líquido nem aglutinante. Em vez disso, as partículas finas dos materiais são submetidas a uma pressão suficientemente alta para comprimi-las. O equipamento usado para a compactação é o compactador de rolos. Estamos falando de um sistema de alimentação equipado com uma rosca de pressurização e dois rolos paralelos que giram em sentido contrário, separados por uma pequena folga. Um deles é fixo, enquanto o segundo rolo pode se mover, afastando-se e aumentando a folga existente entre eles. Resultado? O pó é forçado a passar entre os rolos, formando uma lâmina que é quebrada em flocos. Na sequência, o fertilizante é classificado para separação dos grãos na granulometria desejada.

 

Menores Custos: Não demanda combustível para secagem do material. Toda energia suprida no processo é elétrica. Além disso, é uma tecnologia com menor corrosão, baixo custo de manutenção e menor custo operacional. Trata-se de um sistema que dispensa o emprego de uma estrutura operacional grande para operação da planta e tem menor nível de poluição, porque não existem líquidos ou gases efluentes que demandem tratamento. A compactação também exige menor investimento devido ao uso de equipamentos e materiais simples.

 

Menor Inventário:  A planta de compactação trabalha com estoque mais baixos de produtos acabados e isso não acontece à toa. O processo de compactação é muito flexível, pois utiliza grande diversidade de matérias primas com melhor adaptação aos custos do mercado. Outro fator que contribui para a flexibilidade é a melhor adaptação da carga da planta à demanda do mercado, considerando seus menores encargos operacionais fixos. E o rápido setup da fábrica igualmente ajuda a operação a manter estoques mais baixos de produto acabado.

Saiba mais!
Fertilizantes Alimentando o mundo moderno
Voltar para Agregados